Domingo, Set 24th

Last updateSex, 22 Set 2017 3pm

Maioria das greves em 2016 foram provocadas por precarização e atraso nos salários – A tendência é piorar!

Resistir-1O DIEESE - Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos – publicou estudo em agosto deste ano cujos dados mostram que a precarização no ambiente de trabalho e o atraso no pagamento dos salários motivaram a realização de 2.093 greves em 2016. (Acesse o estudo na íntegra).

A manutenção de direitos foi a principal reivindicação em 81% das paralisações, segundo o estudo. A obtenção de novas conquistas esteve presente em 34% das paralisações. E em 56% das greves, o atraso no pagamento de salários motivou movimento.

Essa realidade marcou presença no setor de telemarketing, e foi reforçada pelo fechamento de várias empresas sem a quitação dos contratos de trabalho e o devido pagamento das verbas rescisórias dos trabalhadores.

O Sindicato atuou firmemente para fazer valer a legislação e os direitos trabalhistas, com mobilização e atuação junto ao Ministério Público do Trabalho, à Secretaria Regional do Trabalho e Emprego e à Justiça do Trabalho. A evocação da responsabilidade subsidiária dos tomadores de serviço foi fundamental para alcançar êxito e garantir os pagamentos das verbas rescisórias, além da liberação do FGTS e do Seguro Desemprego.

Com a reforma trabalhista, que passa a valer a partir de 11 de novembro, os trabalhadores e o Sindicato terão que redobrar a resistência.

Vamos ter que estar muito unidos e fortes para impedir que os empresários apliquem os itens da reforma e nos prejudiquem ainda mais do que já vinham prejudicando, apoiados nas mudanças que ela traz na CLT e em outros itens da legislação trabalhista.

A Campanha Salarial que se aproxima será um teste de fogo. Os empresários estarão ávidos para se aproveitarem da situação e tentarão tirar nossos direitos. Mas nós não vamos deixar. Vamos lutar ao lado do Sintratel e resistir.

Daqui pra frente, precisamos que nosso instrumento de luta, o Sindicato, esteja cada dia mais forte! Só assim evitaremos uma piora acentuada no desrespeito aos nossos direitos e os manteremos com nossa luta.

Essa força vem da conscientização da gravidade do momento que vivemos e da participação de cada operador e operadora junto ao Sindicato e das ações por ele organizadas.

A sua associação e a sua contribuição com a luta é mais necessária do que nunca! Contamos com você para defendermos juntos o direito que é seu! ASSOCIAR É FORTALECER A LUTA!!!

DECRETO Nº 6 523

Código de ética

Criança e adolescente