Sábado, Jul 22nd

Last updateQui, 20 Jul 2017 5pm

Sintratel com Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transexuais na luta contra a intolerância, a discriminação, a opressão de gênero nos locais de trabalho e a desvalorização dos profissionais LGBTs

O Final de Semana de 15 a 18 de junho foi de celebração do Mês do Orgulho LGBT. O Sintratel apoiou e solidarizou com as atividades, participando ativamente dos Jogos e da Parada LGBT, em nome da ampla representação que essa comunidade tem na categoria dos trabalhadores em Telemarketing.

O Sintratel chamou a categoria a participar da Parada LGBTT, que este ano teve como tema: “Independente de nossas crenças, NENHUMA religião é lei - Todas e todos por um Estado laico”, como um  ato de protesto contra a opressão de gênero no local de trabalho  e contra a desvalorização dos  profissionais LGBTs, realidade presente e persistente no Setor de Telemarketing. A parada é sempre um espaço oportuno para ressaltar que todos os trabalhadores são profissionais e cidadãos(ãs), em especial os LGBTTs, hoje parcela significativa de empregados(as) do  Setor de Telemarketing.

O mapa da LGBTfobia em SP

Em dez anos, 465 vítimas – uma a cada semana, em média – procuraram ou foram encaminhadas à Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (Decradi) para registrar uma queixa de crime motivado por homofobia em São Paulo.

Veja AQUI artigo publicado no G1 a partir de dados obtidos por meio da Lei de Acesso à Informação, que mostram a radiografia dessas denúncias.

Sintratel na Parada LGBT

LGBT-2017-Parada-1

LGBT-2017-Parada-2A Parada LGBT foi uma festa democrática e alegre, celebração da diversidade, do respeito e da igualdade entre os gêneros. E também foi um espaço para apoiar a diversidade, a tolerância e lutar contra toda LGBT-2017-Parada-5forma de violência e discriminação por gênero e orientação sexual, no mercado de trabalho e em todos os espaços sociais.

O Sintratel e inúmeros sócios e amigos estiveram ao lado de um público estimado em 3 milhões, milhares de pessoas vestindo a bandeira com as cores do arco-iris, purpurina e pintura no rosto, gays, lésicas, bissexuais e transexuais celebrando a diversidade LGBT-2017-Parada-4apoiados por muitas famílias, que levaram suas crianças, conscientes de que a educação para a tolerância e a democracia começa em casa.

Compartilhou trio elétrico com a UGT e Sindicatos filiados e lançou o Bloco Contra LGBTfobia, que vai ficar ativo em busca de crescer e se tornar uma referência na organização e luta da comunidade LGBT na nossa categoria na cidade de São Paulo.

LGBT-2017-Parada-3Em muitos momentos ouviram-se gritos espontâneos e Fora Temer, o que mostra que a Parada, além de ser festa, é também espaço para expressão de inclinações e reivindicações políticas, de que a comunidade LGBT está mais do que ligada no que acontece no cenário político do país e quer sim participar da luta. 

Sintratel participa dos Jogos da Diversidade LGBT com time feminino de futsal

LGBT-2017-Futebol-1

LGBT-2017-Futebol-2A primeira edição dos Jogos da Diversidade de São Paulo aconteceu no dia 17/06 no Complexo Desportivo do Ibirapuera, organizada pela APOGLBT e CDG Brasil – Comitê Desportivo LGBT.

LGBT-2017-Futebol-3O evento foi criado para celebrar a diversidade através de competições esportivas saudáveis entre os membros da comunidade LGBT.

O Sintratel participou com um time feminino de futsal, o Sintratel Feminy, composto com trabalhadoras das empresas VIKSTAR, URANET, FLEX e LTB. Elas ficaram com a medalha de bronze da competição.

Parabéns às meninas que representaram muito bem nossa categoria!

LGBT-2017-Futebol-4 

17ª Feira Cultural LGBT

LGBT-2017-fEIRA-1

LGBT-2017-fEIRA-2Evento foi realizado no dia 16 de junho no Vale do Anhangabaú, organizada pela da Associação da Parada LGBT de São Paulo. A programação foi gratuita e ofereceu ao público a possibilidade de assistir a performances de artistas LGBT’s no palco do evento e conferir as opções de cultura, lazer e gastronomia, além de adquirir produtos.

Ao todo foram 60 tendas – comerciais com produtos dos mais variados segmentos, de moda e decoração e outras de alimentação; além de oficinas culturais, primeira “Cãominhada da Diversidade”, artesanato, testagem rápida com oficina de saúde e o segundo bate-papo com mais de dez escritores especializados em literatura com temática LGBT. Também haviam tendas especificas para divulgação dos trabalhos de Organizações Não Governamentais (ONGs) e demais entidades que apoiam a causa LGBT.

 

Clique AQUI  para ver a galeria de fotos.

 

 

 

 

DECRETO Nº 6 523

Código de ética

Criança e adolescente