Benefícios

 

Sindicato patronal trava as negociações com proposta absurda: R$890 de piso-salarial, 6% para quem ganha acima e se recusa a discutir quaisquer outras clausulas.

A categoria precisa ser valorizada, e isso se dá com a recomposição nos seus salários e na ampliação dos benefícios!

Pela valorização do Trabalhador em Telemarketing

Nossa categoria merece salário digno que valorize e reconheça o trabalho desempenhado, bem como a melhoria nos demais benefícios contidos em nossa pauta, enviada aos patrões em novembro/2015.

O Sintratel realizou a segunda reunião de negociações da Campanha Salarial 2016 com o Sintelmark (Sindicato patronal) no dia 20 de janeiro. A data-base da categoria é 1º de janeiro, e o Sintratel entregou a pauta de reivindicações em novembro de 2015. Mesmo assim só agora os patrões apresentaram uma posição sobre o aumento salarial da categoria.

Eles querem aplicar o índice do INPC (11,27%) no piso salarial e no vale-alimentação, 6% para os demais salários acima do piso e se recusam a discutir quaisquer cláusulas sociais, como: auxilio-creche (período/valor), vale-cultura etc.

Com isso, o piso salarial da categoria iria para R$ 890, valor muito próximo do salário mínimo. E que está abaixo da necessidade de uma categoria superexplorada como os trabalhadores em telemarketing.

Os salários no setor são baixos, os benefícios têm valores pequenos demais, a pressão nos postos de atendimento é enorme e o assédio moral corre solto. 
Os trabalhadores em telemarketing precisam ser valorizados. E para isso um aumento acima do índice de inflação é imprescindível, bem como uma melhoria substancial nos benefícios.

A Diretoria do Sintratel não aceita a choradeira dos patrões. Se há crise para eles, como alegam, imagina para os trabalhadores da categoria, que enfrentam os aumentos desenfreados na alimentação, transporte, moradia, educação, etc. Nosso piso tem de estar acima do salário mínimo.

O Sintratel tem pleno conhecimento do momento que o país atravessa, e está preocupado e comprometido em viabilizar as negociações, sem intransigência, mas com os pés no chão, de forma a viabilizar a reposição das perdas salariais comprometidas pela inflação. 

Vale ressaltar que já existem valores praticados a maior em outras localidades. Isso leva a proposta Patronal a soar, no mínimo, indecorosa. Praticar na capital, onde o custo de vida acaba sendo maior que em outras localidades, um piso abaixo desse, soa muito contraditório.

Continuamos na luta pela valorização dos salários e dos direitos. Sabemos o que é negociar. Porém, se as contrapropostas continuarem nesse patamar de desrespeito, nosso caminho será as paralisações, greves e por que não o dissídio?!!

Mas sem esquecer que, para uma campanha ser vitoriosa, a participação efetiva da categoria é fundamental, pois os patrões contam com a desmobilização e a conivência de quem só fica sentado esperando o fim acontecer.

Assim, esperamos que os patrões do setor, que estão acostumados com o crescimento constante e os lucros altos dos últimos anos, assumam os desafios do momento, não joguem ainda mais custos nas costas dos já superexplorados trabalhadores do setor e reconheçam minimamente o valor desta categoria.

Em breve haverá nova reunião de negociação. Acompanhe os desdobramentos pelo site do Sintratel. E participe da mobilização nas empresas junto com o Sindicato.

Juntos, falamos mais alto e somos mais fortes!

 Mobilizacao

 

0
0
0
s2smodern