Quarta, Nov 22nd

Last updateTer, 14 Nov 2017 3pm

CAMPANHA SALARIAL 2017 TEM DESFECHO POSITIVO: R$ 957,00 É O NOVO PISO SALARIAL DA CATEGORIA

Após várias rodadas de negociações a Campanha Salarial - 2017 dos Trabalhadores em Telemarketing de São Paulo e Grande São Paulo teve um desfecho positivo em vista da realidade econômica que o país atravessa. Conquistamos um reajuste de 7,52% no piso salarial dos operadores. Merecendo destaque à obtenção do ganho real de 1,22% frente ao índice inflacionário do IPC-FIPE (6,30%).  Assim, com o novo reajuste o piso salarial da categoria foi de R$890,00 para R$957,00.  Já o piso dos supervisores, foi para R$1.486,07.

Além disso, os demais benefícios econômicos de nossa CCT (Convenção Coletiva dos Trabalhadores), como: PLR, Auxilio Creche e Auxilio Refeição, tiveram reajuste de 6,30% acompanhando a reposição da inflação no período pelo IPC-FIPE, instituto que mede a inflação em São Paulo.

Vale ressaltar, que a situação do país, onde estamos presenciando uma grande retração econômica que, inclusive, afeta o setor de Serviços, onde as Centrais de Chamadas estão inseridas, foi muito desfavorável para os trabalhadores no período, e em outras categorias tiveram que amargar uma reposição abaixo da inflação no intuito de combater o fantasma do desemprego, que tem chegado a números alarmantes em todo Brasil.

Em nossas negociações não foi diferente, o patronal durante todo o momento utilizou dos números negativos da economia, da onda desemprego que o país enfrenta, e que nosso setor não estaria fora deste processo. Diante de tal fato, no compromisso de assegurar os empregos e o bem estar das famílias que dependem  destes, o patronal impôs o repasse de 4% nos salários que estão acima do piso, com a garantia de assegurar a manutenção dos postos de trabalho na categoria, que hoje atingem mais de 300.000 postos de trabalho no estado.

 

Quadro-1

  

REPOSIÇÃO DA INFLAÇÃO 6,30% + GANHO REAL  DE 1,22% ESTÁ GARANTIDO PARA A  CATEGORIA!

PISO ANTIGO: R$ 890,00

+ 6,30% da  INFLAÇÃO

+ 1,22% de GANHO REAL

= PISO ATUAL: R$ 957,00

 

Retração econômica do país dificultou as negociações

O Sintratel lutou muito na negociação da Campanha Salarial. Mas a retração econômica que o país atravessa, que atinge o setor de serviços, e a dificuldade gerada pela presença de sindicatos alheios à nossa categoria, que criam um dumping no mercado (que deve ser exaustivamente denunciado nas esferas judiciais do país) fizeram com que as negociações da Convenção Coletiva de Trabalho 2017 fossem desvantajosas aos Trabalhadores em Telemarketing, assim como para a maioria das categorias.

O patronal usou a retração da economia a seu favor. Trouxe para a mesa e os problemas gerados por ela, como o aumento do desemprego e a queda da produtividade. Fez ameaças de que qualquer reivindicação fora da realidade levaria a demissões. E usou isso como justificativas para repelir as reivindicações apresentadas, por mais justas que elas fossem. Insistiu que, para manter os empregos no setor, a reposição da inflação estaria fora de cogitação e inviável.

Insistência do Sindicato e mobilização da categoria

Apesar disso, a diretoria do SINTRATEL intensificou as ações junto à categoria, buscando maior força para que nosso poder de reivindicação aumentasse, propiciando a reposição inflacionária.

Para isso realizamos inúmeras assembleias e reuniões em diversas empresas do setor, dentre outros locais de convocação.

Estas ações mobilizadoras possibilitaram maior poder de barganha nas negociações, que culminou com o ganho real no piso da categoria, que contempla a maioria dos trabalhadores, mas que o patronal cobrou o preço, repassando apenas 4% aos que ganham acima do piso.

País vai mal com Temer

Nas negociações da Campanha Salarial, os patrões do setor pegaram carona na mesma onda do governo. Desde que assumiu, o governo Temer tem tomado medidas que atacam os trabalhadores e seus direitos. Foi assim com as propostas de congelar os gastos com educação e saúde, de reforma da previdência e da legislação trabalhista. E com o reajuste do salário mínimo, que ficou abaixo do que determina a lei, inferior à inflação.

O governo diz que falta dinheiro em caixa e precisa diminuir os gastos. Mas apresenta como única alternativa tirar do bolso dos trabalhadores. Aos ricos, empresários e empresas, ele só favorece.

A verdade é que a mudança na presidência levou governo, deputados e senadores a aproveitarem da situação para atacar nossos direitos. Isso ajuda a entender a precariedade e o momento crítico nas negociações para os trabalhadores. Somente a unidade da classe trabalhadora poderá fazer frente aos ataques, seja nas Campanhas Salariais, seja em nível nacional.

Quadro-CCT-2017

VEJA AQUI A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2017 NA ÍNTEGRA

 

Assembleias de aprovação da negociação da CCT 2017 nas empresas da BASE do Sintratel contaram com a ampla participação  da categoria.

Veja imagens de assembleias realizadas:

Ultracenter 2

2 - assembleia 310

5 - assembleia 273

Ultracenter 8

Teletech-Site-1

Vikstar 21

Vikstar 11

Vikstar 15

Vikstar 22

Vikstar 9

3 - assembleia 312

Teletech-Site-2

Vikstar 8

 Vikstar 1

4 - assembleia 291

Teletech-Site-3

1 - assembleia 307

2 - assembleia 246 

Teletech-Site-4

Ultracenter 4

4 - assembleia 270 

Vikstar 17

Ultracenter 5

Ultracenter 6

DECRETO Nº 6 523

Código de ética

Criança e adolescente