Notícias

"El, el, el, queremos álcool em gel!". "Veja não, álcool em gel é solução". Com cânticos como esses, funcionários da Almaviva do Brasil, um dos principais call centers do país, com 37 mil empregados, cruzaram os braços e paralisaram suas atividades por receios em relação ao novo coronavírus. Eles chegaram a ocupar uma das faixas da rua da Consolação, na região central da capital.

A empresa, dizem os funcionários, não está tomando as medidas de higienização adequadas, nem fornece insumos básicos para a limpeza. No Brasil, são 647 casos contabilizados pelo governo e 7 mortes — todas no estado de São Paulo, segundo o ministério da Saúde. Mas os números oficiais são subestimados e projeções apontam que os dados reais podem ser até 30 vezes o informado.

Segundo relatos de funcionários, cerca de 70, que se manifestavam hoje, quatro pessoas que trabalham no call center estão com suspeita da covid-19.

Penalizada por não ir ao trabalho

Maria Eduarda Miranda, 19, trabalha no local desde janeiro deste ano. Por estar no grupo de risco (ela tem bronquite asmática) e morar com idosos, ela deixou de ir ao trabalho nos últimos dias. Além de a empresa descontar os dias em que não foi, Maria Eduarda também deixou de ganhar uma bonificação de R$ 500 à qual teria direito.

"Não tem álcool em gel, a gente já pediu e eles falam que vai chegar, mas nunca chegou. Eles também não higienizam as P.A.'s [postos de atendimento do call center], deixam apenas um paninho com Veja para todos os pontos. Somente um pano para todos os pontos, isso é absurdo", diz Maria Eduarda. Nos banheiros, os relatos são de que também falta sabão para lavar as mãos.

Os postos de atendimento, conforme fotografias a que a reportagem teve acesso, são muito próximos uns aos outros e contrariam as recomendações do ministério da Saúde — que preconiza ao menos um metro entre as pessoas para evitar contágio. Na unidade da Consolação, são 980 funcionários.

Por conta disso, a maioria dos trabalhadores afirma que não há condições para trabalhar, já que o novo coronavírus tem um alto grau de transmissão.

"Eu tenho um filho de um ano. Todos os dias que chego em casa, espero uma hora antes de pegar ele na babá para diminuir os riscos", diz uma funcionária que preferiu não se identificar.

Guilherme Garcia, 25, trabalha desde o fim do ano passado na empresa. Segundo ele, a única coisa que mudou desde o desencadeamento da pandemia do novo coronavírus é a limpeza nos corredores. "Nos computadores, que são compartilhados, não fazem higienização", diz.

Outra funcionária afirmou ainda que a médica que atende na empresa não está falando com os funcionários. "Talvez por medo, não sei, mas eles mandam a gente falar com a enfermeira, e a enfermeira que fala com ela. Não dá para entender", relata.

Os funcionários entregaram uma lista aos gerentes da empresa com reivindicações, incluindo a disponibilização de álcool em gel e a limpeza diária dos postos de atendimento, com ata registrada.

Empresa diz que falta álcool em gel

Em nota, a Almaviva afirmou que "não está medindo esforços para garantir a segurança de seus colaboradores nesse momento de pandemia relacionado ao Covid-19 (coronavírus)".

"Por isso, formou um comitê permanente para desenvolver ações a fim de proteger os colaboradores e seus familiares. Nesse sentido, um plano de ação, alinhado às iniciativas da Associação Brasileira de Telesserviços (ABT), já foi implementado. São procedimentos como a intensificação da higienização dos espaços e postos de trabalho individuais, incluindo a distribuição de álcool gel em ambientes de uso comum", diz a nota enviada à reportagem.

A empresa também diz que está sem álcool em gel por conta de um problema de abastecimento, mas afirma que "está acionando operações emergenciais, para trazer o produto, inclusive, de outros estados se for necessário. Uma operação que demanda alguns cuidados especiais com a segurança e logística", diz o texto.

Por outro lado, a empresa diz que ainda não tem perspectiva para quando as pessoas poderão trabalhar de casa. "Um estudo de viabilidade tecnológica para trabalho home office está em andamento", diz a Almaviva.

Fonte: UOL

0
0
0
s2smodern

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar