Mundo Sindical

Dia 19 de fevereiro será um Dia Nacional de Lutas em todo o país e terá atividades contra a reforma de Temer.

A Diretoria do Sintratel considera importante essa decisão tomada pelas Centrais Sindicais. Por isso convoca a categoria a participar de um grande ato na Av Paulista às 16h.

Você quer se aposentar só aos 65 anos de idade?

Só com 40 anos de contribuição ao INSS?

Você quer morrer trabalhando?

É isso que Temer quer com sua reforma da Previdência! Juntos podemos derrotar o governo! Participe dos atos! Lute com o Sintratel!

O governo ilegítimo de Michel Temer tenta a todo custo fazer mais uma de suas maldades com os trabalhadores do Brasil. Após inúmeros adiamentos quer colocar a Reforma da Previdência em votação. Pra tentar emplacar essa medida impopular gastou milhões em propaganda e Temer teve até a cara de pau de aparecer em programas de auditório dizendo que a Reforma é boa para todos nós. Mas o povo não se engana e vai tomar mais uma vez as ruas pra dizer não a Reforma da Previdência.

Se colocar para votar, o Brasil vai parar!

A luta é para que a re(de)forma previdenciária seja retirada da pauta congressual. Por isso as Centrais adotaram a tática correta ao chamar a jornada de lutas. Ela dá vazão ao sentimento contrário dos trabalhadores com atividades que mostram essa rejeição popular e servem para esclarecer os deputados e senadores indecisos e adversários do povo de que se votarem, não terão votos para voltar ao Congresso!

Para isso servem as ações convocadas como a visita ao presidente da Câmara (e depois, ao presidente do Senado), as recepções nos aeroportos, as reuniões com os parlamentares em Brasília e em suas bases eleitorais, assim como passeatas, panfletagens e manifestações.

Vale toda forma de luta! Só não vale ficar assistindo sem fazer nada!

Déficit da Previdência não existe

Temer continua insistindo que há déficit na Previdência, que seria da ordem de R$ 100 bi. Está fazendo uma campanha infame de chantagem, dizendo que o Brasil quebra se a reforma da previdência não for aprovada.

Mas a CPI da previdência no Senado já mostrou que é falso. Temer manipula os cálculos para gerar o déficit. E tem a dívida das empresas, que ele não cobra e quer perdoar. Ela passa de R$ 450 bi. É só cobrar a dívida das empresas e fiscalizar para não ter mais calote que a previdência fica com dinheiro sobrando para várias décadas.

Apesar de estar jogando sujo para aprovar sua reforma, comprando o voto de deputados e o apoio dos meios de comunicação para enganar a população, o próprio governo Temer avalia que ainda não tem os votos necessários para aprovar a medida na Câmara. Portanto, aumentar a pressão e a mobilização neste momento pode inviabilizar de vez a votação dessa reforma que acaba com o direito à aposentadoria.

O Sintratel se une às Centrais Sindicais na frente de batalha, como esteve até agora nas manifestações. Acompanhe as convocações em nosso site e entre na luta conosco!

 

contraareformadaprevidencia

Leia a íntegra da nota das sete centrais:

Jornada Nacional de Luta contra a Reforma da Previdência

Em reunião manhã, as centrais sindicais (CSB, CTB, CUT, Força Sindical, Nova Central, UGT, Intersindical) aprovaram a realização de uma Jornada Nacional de Luta contra a Reforma da Previdência.

Na oportunidade, as centrais repudiaram a campanha enganosa do governo Michel Temer para aprovar a Reforma da Previdência. E orientam para o próximo dia 19 de fevereiro um Dia Nacional de Luta.

Com a palavra de ordem “Se botar pra votar, o Brasil vai parar”, as centrais orientam suas bases a entrarem em estado de alerta e mobilização nacional imediata, com a realização de assembleias, plenárias regionais e estaduais, panfletagens, blitz nos aeroportos, pressão nas bases dos parlamentares e reforçar a pressão no Congresso Nacional.

As centrais sindicais conclamam suas bases a reforçar o trabalho de comunicação e esclarecimento sobre os graves impactos da “reforma” na vida dos trabalhadores e trabalhadoras.

A unidade, resistência e luta serão fundamentais para barrarmos mais esse retrocesso.

CTB – Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil

CSB – Central dos Sindicatos Brasileiros

CUT – Central Única dos Trabalhadores

Força Sindical

NCST – Nova Central Sindical de Trabalhadores

UGT – União Geral dos Trabalhadores

0
0
0
s2smodern

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar