Sábado, Ago 19th

Last updateSex, 18 Ago 2017 12pm

Brasil enfrenta a recessão mais profunda em 20 anos e não apresenta perspectiva de melhora rápida

RecessaoAs informações sobre a situação da economia brasileira foram divulgadas pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) e mostram que o discurso de que a mudança de governo levaria à recuperação da economia era uma falácia.

Recessão longa e profunda

A economia brasileira encolheu 3,6% em 2016 e emendou o segundo ano seguido de queda. É a mais longa recessão pela qual o país já passou. O PIB (Produto Interno Bruto) já havia tombado 3,8% em 2015. 

O Brasil nunca havia registrado dois anos seguidos de encolhimento da economia, segundo a atual pesquisa do instituto, que começa em 1996, e a pesquisa anterior, iniciada em 1948.

População empobrece 9,1%

O impacto da recessão sobre a renda do brasileiro foi ainda mais profundo do que sobre a economia como um todo.

Desde o início da crise, o PIB per capita (o valor total do PIB dividido pela população) caiu 9,1%, de acordo com o IBGE. O PIB per capita ficou em R$ 30.407 no ano passado.

Enquanto isso, o PIB total cresceu 0,5% em 2014 e caiu 7,2% no acumulado de 2015 e 2016. Isso acontece porque o cálculo leva em conta tanto a queda do PIB quanto a expansão da população, de 0,9% ao ano, em média.

"É como se o bolo tivesse diminuído e mais pessoas quisessem comer. A fatia diminui", diz Rebeca Passos, coordenadora de contas nacionais do IBGE.

Veja mais informaçoes AQUI.

A a recessão mais profunda em 20 anos

A atual recessão já é, em números oficiais, a mais longa e intensa vivida pelos brasileiros que chegaram há pouco à idade adulta – e, sem desfecho previsível, ameaça ocupar o posto também na memória dos mais velhos.

Não se via nada semelhante desde 1990, quando o Plano Collor confiscou dinheiro depositado nas contas bancárias e o PIB, então apurado com uma metodologia diferente, caiu 4,35%.

Agora, a crise se aprofunda em uma rara combinação de paralisia no governo e no Congresso, escândalos de corrupção, desemprego e inflação em alta, incerteza generalizada entre empresários e consumidores.

A economia segue em queda neste 2017, a caminho do pior desempenho bienal apurado desde o século 20. Os dados do IBGE não são, portanto, uma fotografia do passado; são parte de um longa-metragem em andamento.

PIB2016

DECRETO Nº 6 523

Código de ética

Criança e adolescente