Domingo, Fev 26th

Last updateSex, 24 Fev 2017 4pm

Empresa WF fora da lei descumpre a Convenção Coletiva de Trabalho e a CLT

Sintratel requereu Mesa Redonda de Negociação urgente para acabar com as irregularidades!

LeiCumprirOs trabalhadores da empresa WF relataram vários problemas ao Sintratel, todos inaceitáveis e em claro descumprimento da legislação trabalhista e da Convenção Coletiva de Trabalho da categoria, portanto contra a lei.

O primeiro problema se refere ao pagamento dos salários.

A empresa não cumpre a obrigatoriedade de realizar o pagamento até o 5º dia útil de cada mês, conforme consta no Convenção Coletiva de Trabalho, cláusula 10, e no Artigo 459 da CLT - Consolidação da Legislação Trabalhista.

Houve situações em que a empresa demorou de 30 a 60 dias para quitar o pagamento! E as contas dos trabalhadores, como ficam? Problemas com bancos ou de falta de pagamento dos tomadores não podem ser usados como desculpa! Qualquer empresa decente tem que ter reserva de caixa para existir e cumprir suas obrigações.

Outra irregularidade está nos depósitos do FGTS.

Apesar de descontar os valores rigorosamente nos holerites dos trabalhadores, ela não realiza o repasse à conta do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço de cada trabalhador. Isso já ocorre há mais de 8 meses e pode complicar muito a vida financeira dos empregados da empresa em caso de desligamento. Além de configurar apropriação indébita de recursos pela empresa.

O pagamento de benefícios garantidos pela lei também está irregular.

Os benefícios do Vale Transporte e do Vale Refeição devido aos trabalhadores não está sendo efetuado regularmente. Além disso, a empresa não está comunicando previamente os atrasos no pagamento desses direitos dos trabalhadores.

Além de gerar dificuldades, pois o trabalhador depende dessa verba para se locomover e se alimentar, e na maioria dos casos não tem como dispor de dinheiro para isso, a falta de pagamento regular dos benefícios dificulta a organização do trabalhador quanto à garantia de cumprimento diário da jornada de trabalho.

A mesa redonda foi requerida pelo Sintratel para o dia 23 de fevereiro, às 15h00. Contamos com o comparecimento da empresa e com o bom-senso necessário aos seus dirigentes para resolver as questões de imediato, sem que seja necessário pedido de fiscalização junto ao Ministério do Trabalho e encaminhamento de protestos, lutas e ações judiciais.

DECRETO Nº 6 523

Código de ética

Criança e adolescente