Categorias

A Mesa Redonda de Negociação realizada no dia 05 de junho de 2018 entre o Sintratel e os representantes NEO BPO trouxe as conquistas que os funcionários  e funcionarias da empresa buscaram com muita luta ao lado do Sindicato.

A principal conquista é a garantia da aplicação da Convenção Coletiva de Trabalho - CCT 2018. Ela resulta em garantias importantes, como a quitação, já na próxima folha de pagamento, do reajuste salarial definido na CCT. Inclusive dos valores atrasados, retroativos a 01 de janeiro de 2018, quando a atual CCT entrou em vigor, data-base da categoria.

Ampliação dos benefícios e garantias

Além  da  garantia do cumprimento da CCT, a Diretoria do Sintratel deu continuidade às  negociações com vistas à ampliação dos benefícios e garantias trabalhistas dos funcionários e funcionarias da empresa.

Esse benefícios foram debatidos em assembleias com os trabalhadores(as), para que a negociação e a celebração de acordos mais benéficos fossem encaminhadas com a aprovação de todos(as).

Os itens em negociação constam da pauta de reivindicações protocolizada pelo SINTRATEL junto à empresa, da qual destacamos:

garantias ás mães  trabalhadoras, com a reafirmação da estabilidade provisória de 60 dias  para o retorno ao  trabalho.

aprimoramento no  plano de ascensão profissional com período probatório.

aplicação de um programa de compensação da jornada, com eixo no bem-estar  do empregado e garantia de renda.

garantia da aplicação do Anexo II da Nr17 e da Convenção 111  da Organização Internacional do Trabalho, primando pela equidade nas relações de trabalho.

Nossa luta é justa. O Sintratel chama todos(as) a estarem unidos e organizados ao lado do Sindicato para continuarmos o movimento em prol da garantia de nossos direitos e nossa valorização no trabalho!

Com a ajuda do Dieese, as centrais sindicais brasileiras aprovaram e lançaram a agenda prioritária da classe trabalhadora para os embates eleitorais com democracia, soberania e desenvolvimento: justiça social, trabalho e emprego.

Trata-se de uma ampla plataforma política com propostas para o enfrentamento da crise no país, sob a perspectiva do desenvolvimento econômico, com criação de empregos e valorização do trabalho.

Em seus 22 pontos a agenda sintetiza a plataforma político-sindical que orienta as ações sindicais durante o processo eleitoral deste ano, sensibiliza os candidatos a todos os cargos em disputa e garante o apoio da militância àqueles que se mostrarem (com atos e palavras) favoráveis a ela.

A primeira e mais importante afirmação do documento unitário é o compromisso pela criação de empregos em um processo de retomada do desenvolvimento econômico. O Brasil não pode mais suportar os 30 milhões de brasileiros desempregados, desalentados e mal utilizados na vida produtiva da sociedade.

As centrais sindicais CSB, CTB, CUT, FS, Intersindical, NCST e UGT que assinaram a agenda demonstram um aspecto importante da democracia brasileira que é a relevância na vida política nacional dos sindicatos e d@s trabalhador@s.

A agenda deve chegar a todos os aliados, candidatos a presidente, a governadores, a senadores (dois por estado), a deputados federais e a deputados estaduais. É a âncora tríplice de nossa participação cidadã com suas três pegadas: unidade, resistência e emprego.

Conheça AQUI a agenda e ajude a divulgá-la aos candidatos e a todos os trabalhadores.